Ferramentas DAPP

As diferentes histórias possíveis para os fluxos recentes de imigrantes para o Brasil

há 2 anos por Bárbara Barbosa, Wagner Oliveira

Quando analisamos dados relativos à entrada de imigrantes no país, as diferentes fontes podem contar histórias diferentes. Segundo dados do Conselho Nacional de Imigração (CNIg) e da Coordenação Geral de Imigração (CGIg), houve uma queda no número das autorizações de trabalho concedidas a estrangeiros desde 2011 até 2014, mas paralelamente, houve um aumento no fluxo de imigrantes para o Brasil no mesmo período (à exceção de 2014), como mostram os dados do Sistema de Cadastro e Registro de Estrangeiros (SINCRE) da Polícia Federal, como mostra o infográfico abaixo.

O sistema SINCRE, que registra todos estrangeiros com vistos de entrada regular no país, exceto o visto de turismo, conta uma história diferente dos dados de autorização de trabalho, isto porque esta base de dados também abrange a entrada de estrangeiros que entraram no país com outros tipos de visto além do de trabalho. O infográfico acima mostra uma tendência de aumento de entrada de estrangeiros desde 2008.

A queda no primeiro gráfico pode ter duas causas. A primeira está relacionada aos motivos de entrada dos imigrantes no Brasil ou à necessidade de emitir autorização de trabalho. Muitos estrangeiros entram com outros tipos de visto no país (ex: estudante), e, portanto, não aplicam para uma autorização de trabalho, ou, em outros casos, não necessitam de autorização de trabalho para o tipo de entrada, segundo as resoluções normativas do CNIg.

O segundo motivo está relacionado à recuperação econômica dos países desenvolvidos no pós-crise de 2008, o que gera uma tendência a diminuição da emigração destes países para países como o Brasil. Quando analisamos a diferença entre a taxa de desemprego de 2011 e 2014 dos trinta principais países que enviaram imigrantes com pelo menos ensino superior ao Brasil no mesmo período, percebe-se, pelo infográfico abaixo que a maioria dos países de fato estão em recuperação (apresentam diferencial negativo de taxa de desemprego, ou seja, tiveram queda no indicador no período). Isso implica numa tendência de menor fluxo de imigrantes para o Brasil, uma vez que os países mais representativos encontram-se na parte esquerda do gráfico.

Nota Metodológica

No sistema SINCRE, nota-se que ainda existem 37.274 estrangeiros cujo ano de entrada no país é ignorado, esta imprecisão pode ser atribuída a inconsistências detectadas nas bases de dados de imigração do país. A FGV/DAPP apresentou ao Ministério do Trabalho e Previdência Social uma série de recomendações quanto à harmonização destes dados em estudos recentes, frutos de uma parceria entre as instituições.


Veja mais sobre: