Ferramentas DAPP

Ataques à caravana de Lula mobilizam debate sobre presidenciáveis no Twitter, mostra DAPP Report

Candidatura petista ganha eixo central do debate político, impulsionada também por adiamento de recurso no STF e polêmica sobre série 'O mecanismo', da Netflix

há 3 semanas

Nova edição de “DAPP Report — A semana nas redes” mostra que a semana entre 21/03 e 28/03 foi marcada por um recrudescimento da candidatura de Lula como o eixo central das discussões sobre o cenário político para outubro com o ataque a tiros e protestos contra a caravana petista em estados no Sul do país, o adiamento da sessão do STF que julgará o habeas corpus preventivo do ex-presidente, e a polarização despertada pela série de “O mecanismo”, da Netflix. Todos esses episódios mantêm forte o acirramento de opiniões partidárias nas redes sociais, dividindo o debate entre grupos pró-Lula e contra Lula — ainda que, dentre estes, sem um alinhamento partidário predominante, apesar de Jair Bolsonaro. Da 0h de 21 de março à 0h de 28 de março, quarta-feira, houve 1,36 milhão de menções ao ex-presidente no Twitter.

>>Faça download do estudo completo em PDF

A caravana do ex-presidente, que já havia sido destacada nas redes sociais pelos ataques com ovos e pedras e pela agressão, por parte da segurança de Lula, de um jornalista, foi pauta central do debate político na terça-feira (27), após os tiros disparados contra os ônibus da caravana. Apenas das 19h de terça às 12h desta quarta (28), houve 181,7 mil menções no Twitter ao ex-presidente, dentre as quais 111,7 mil (61,5%) mencionam incidentes ocorridos durante a caravana. E, desde o começo do período analisado, à 0h de 21 de março, foram 350,1 mil publicações no Twitter sobre a caravana. O presidenciável tucano, Geraldo Alckmin, foi mencionado 11,4 mil vezes por conta de sua declaração, feita na noite de terça, de que o petista “colhe o que planta”.

O levantamento mostra ainda que o julgamento de habeas corpus de Lula pelo Supremo Tribunal Federal (STF) pautou um terço do debate sobre o petista em uma semana, entre grupos pró e contra o ex-presidente. As 465 mil postagens citam ministros da Corte, os possíveis cenários da votação, o impacto político posterior e críticas à eventual liberação, pelo STF, da candidatura do petista.  Destacam-se as hashtags #stfvergonhanacional (50,5 mil publicações sobre Lula) e #lulalivre (104,5 mil referências).

Já a série “O mecanismo”, da Netflix, gerou posicionamento crítico da esquerda, tendo a ex-presidente Dilma como um dos principais atores políticos do debate e soma 44,9 mil menções a Lula. Por isso, repercutiu de forma positiva a resposta irônica dada pela conta da Netflix no Twitter a Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), negando qualquer interesse da empresa em fazer série sobre seu pai, Jair Bolsonaro. Bolsonaro, cujo predomínio nas redes sociais começa a diminuir frente aos demais candidatos, foi mencionado 326 mil vezes, contra 336 mil na semana anterior (0h de 14 de março a 0h de 21 de março).

Marina Silva, que até o momento se mantém discreta nas redes sociais, atingiu ao longo da semana maior presença no debate (14,5 mil postagens) após reação negativa da esquerda à sua divulgação da série. A ex-senadora foi acusada de fazer “uso político” da morte da vereadora Marielle Franco neste contexto.

Também ao longo da semana verificou-se a consolidação de debates sobre outras candidaturas que já ensaiavam maior presença nas discussões políticas na web, notando-se sobretudo Manuela D’Ávila e Geraldo Alckmin, além de Henrique Meirelles, com o anúncio de que deixará o Ministério da Fazenda e se filiará ao MDB. Já Guilherme Boulos, passado o ápice das manifestações de apoio à vereadora Marielle Franco e a sua expressiva ascensão como ator de divulgação de agendas de esquerda, retornou às médias anteriores ao lançamento da sua candidatura à Presidência.

O debate econômico

Ainda que os últimos dias tenham sido marcados por acontecimentos relacionados ao ex-presidente Lula, há indícios de que tais eventos não influenciaram consideravelmente o comportamento do mercado. Outros eventos como a divulgação da ata do Copom e do resultado anual da Sabesp, além do debate internacional sobre a possibilidade de uma guerra
comercial envolvendo os EUA e a China teriam sido mais relevantes para explicar as flutuações no mercado brasileiro.

O gráfico ao lado mostra o comportamento do coeficiente de correlação entre a repercussão em torno do ex-presidente — medida pelas menções em Twitter, sites e blogs — e o índice Bovespa em série histórica, revelando que o momento atual não apresenta uma correlação significativa, como foi no passado, por exemplo, no momento do julgamento do TRF-4 em janeiro.

De modo geral, a semana do debate econômico foi norteada pelos seguintes temas: desemprego, agropecuária, contas públicas e impostos. Como já observado na última semana, o tema desemprego segue como principal assunto, mobilizado pela discussão usual da dificuldade de se encontrar um trabalho. No entanto, observa-se um tom mais otimista, impulsionado sobretudo por anúncios de vagas de trabalho, abertura de novos concursos públicos e a divulgação de dados de vagas formais para fevereiro divulgados pelo Caged. Por outro lado, nos últimos dias, a divulgação do plano de demissão voluntária da Eletrobras tem recebido grande destaque entre os usuários.


Veja mais sobre: , , ,