Com assinatura de decreto, discussão sobre posse de armas mobiliza 78,4 mil tuítes em 24 horas

Das 32 postagens mais compartilhadas nesse período, 16 são contrárias à flexibilização da posse de armas e nove, favoráveis; Hashtag que mais aparece no debate é #armamata

há 5 meses

A flexibilização da posse de armas de fogo, decretada nesta terça-feira (15) pelo presidente Jair Bolsonaro, mobilizou 78,4 mil postagens no Twitter entre as 16h do dia 14 e as 16h do dia 15 de janeiro. Segundo levantamento da FGV DAPP, um pico de 17,6 mil postagens (293 postagens por minuto) foi identificado às 14h, momentos depois do pronunciamento do presidente sobre a medida. O gráfico abaixo mostra a evolução do debate ao longo do período analisado.

Das 32 postagens mais compartilhadas nesse período, 16 são contrárias à flexibilização da posse de armas, argumentando, dentre outras coisas, que a medida poderá aumentar o número de mortes de pessoas inocentes ‒ sobretudo, de crianças, mulheres e da população LGBT ‒, a exemplo de países mais permissivos com o porte de armas, como os EUA. Por outro lado, nove postagens são claramente favoráveis à essa flexibilização, justificando que ela assegura o direito de legítima defesa do cidadão comum. As outras sete postagens somente noticiam o decreto assinado pelo presidente ou, ainda, ironizam as possíveis consequências da medida.

Dentre as hashtags que mais aparecem no debate, destaca-se #armamata, em 155 postagens (0,2% do debate). Além dessa, tiveram repercussão #possedearmaseuapoio e #medo e #ditadura, com cerca de 80 postagens (0,1%) cada. Já os emojis mais usados foram o do rosto em lágrimas (😂), em 940 postagens (1,2%); o do rosto pensativo (🤔), em 785 postagens (1%); e o do polegar (👍), em 705 postagens (0,9%).

As palavras mais usadas durante o período analisado foram “armas” e “posse”, que aparecem em 46,3 mil (59%) e 32,1 mil (41%) postagens, respectivamente. Elas são seguidas das palavras “decreto”, em 26,6 mil postagens (34%); “bolsonaro”, em 20,4 mil postagens (26%); “porte” e “cidadão”, em 8,6 mil postagens (11%) cada; e “segurança”, em 7,8 mil postagens (10%).