Ferramentas DAPP

FGV DAPP lança plataforma #observamigração em painel que aponta imigração como oportunidade

Pesquisadores e especialistas destacam a importância de ver a imigração como aliada para o desenvolvimento do Brasil

há 3 semanas

 

A Diretoria de Análise de Políticas Públicas da Fundação Getulio Vargas lançou, nesta quinta-feira (22/11), a plataforma #observamigração que reúne as ferramentas Fluxo Migratório, um panorama sobre a entrada de estrangeiros no Brasil e a saída de brasileiros do país, e Simulador Demográfico, impactos econômicos e demográficos das migrações internacionais para o Brasil, no painel de debate “Lançamento da plataforma #observamigração: impactos dos fluxos migratórios no Brasil”.

Veja o painel de lançamento na íntegra 

O evento contou com a apresentação inicial do diretor da FGV DAPP, Marco Aurelio Ruediger e a presença do vice-presidente da FGV, Sergio Quintella. No painel, estavam presentes o coordenador geral de imigração do Ministério do Trabalho, Luiz Alberto Matos dos Santos, os pesquisadores e professores do Cedeplar/UFMG, Cássio Turra e Simone Wajnman, e os pesquisadores da DAPP, Danielle Sanches e Wagner Oliveira.

Os participantes apontaram a importância de ver a imigração como oportunidade para o Brasil e seu desenvolvimento econômico e possibilidades de auxiliar o governo na ação de políticas públicas com as ferramentas apresentadas.

— A composição de como trazer imigrantes e como gerar oportunidades é algo que o Brasil tem que se debruçar. O Brasil, como tantos outros países, nesse momento, tem recebido grande fluxo de migrantes — disse Ruediger na abertura do evento — A questão da imigração é um dos grandes dilemas desse século e nós temos que nos preparar pra isso. Acho que a Fundação está dando uma contribuição enorme, tenho orgulho da equipe e deste projeto. Isso aqui é uma contribuição nossa para o país. Pensando política de uma forma inteligente e moderna, que vamos avançar e superar os desafios.

Na mesma linha de importância de ferramentas como as que foram lançadas e de esforços para melhor aproveitamento e organização com as questões migratórias, o pesquisador Wagner Oliveira destacou: — O Simulador Demográfico é uma ferramenta que é resultado de um esforço de muito temo, com o objetivo de, pela via demográfica, medir o desenvolvimento econômico relacionado à migração.

Complementando a apresentação das ferramentas digitais, Danielle Sanches explicou além da funcionalidade dos dados apresentados e da forma como isso foi feito na #observamigração, destacando que estes dados são atualizados até julho de 2017 e que a ideia é continuar atualizando anualmente, em busca de contribuir com agendas do governo.

— A ideia é apresentar essas ferramentas para auxiliar na elaboração de políticas públicas de atração de imigrantes e em qual foco devemos ter. A gente ainda tem um número maior de brasileiros saindo do país do que a entrada de imigrantes — apontou a pesquisadora.

Também pensando a imigração como uma oportunidade de desenvolvimento e destacando o histórico brasileiro nos últimos anos, Matos dos Santos falou do que pode ser visto como experiência ara o país até aqui: —  O Brasil, até, então, tinha uma experiência muito estimulada com a imigração. Quem chegava era acolhido de braços abertos porque eram pessoas esperadas. Agora temos um fato novo que é a imigração não estimulada, encarando o Brasil como oportunidade. Tivemos uma experiência com os haitianos e agora, uma experiência mais intensa com os venezuelanos e aprendemos muito. Isso só demonstra que os movimentos migratórios são imprevisíveis e desafiadores, essa é a grande possibilidade de aprendizado que essa área traz.

Os pesquisadores da UFMG se voltaram mais para dados, pirâmides e projeções demográficas também no intuito de mostrar que é possível identificar públicos que podem ser atraídos pelo Brasil, que façam parte da População Economicamente Ativa e que, portanto, possam contribuir para o mercado de trabalho formal.

— O que aconteceu historicamente no Brasil é que sempre tivemos pressão de crescimento demográfico de forma natural e com a diminuição da fecundidade, abriu espaço para a atração de imigrantes. Então, a migração pode ser uma aliada importante para o crescimento demográfico e para o desenvolvimento econômico. Essa é uma motivação importante — afirmou Cássio Turra.

Falando do posicionamento feminino no mercado de trabalho e comparando o Brasil com outros países, Simone Wajnman endossou o que já vinha sendo falado, trazendo mais dados demográficos que ajudam a apontar o público que um país precisaria atrair para que a imigração colabore para o desenvolvimento local: — Não podemos tomar como horizonte para as projeções qualquer país no mundo. A gente observa que os países latinos têm comportamentos parecidos em termos de demografia, o que ajuda a entender as taxas de participação no mercado de trabalho.


Veja mais sobre: , ,