Ferramentas DAPP

Henrique Meirelles aponta caminhos para o crescimento do Brasil em evento organizado pela DAPP e EPGE

Painel 'Perspectivas econômicas e políticas públicas: os desafios para o Brasil', promovido pela DAPP e EPGE, foi aberto pelo presidente da FGV

há 2 meses

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, apontou caminhos para o crescimento do Brasil e defendeu a reforma trabalhista como forma de modernizar o mercado de trabalho brasileiro em evento na sede da FGV na última sexta-feira, 14 de julho. O painel “Perspectivas econômicas e políticas públicas: os desafios para o Brasil”, promovido pela Diretoria de Análise de Políticas Públicas (DAPP) e pela Escola Brasileira de Economia e Finanças (EPGE), foi aberto pelo presidente da FGV, professor Carlos Ivan Simonsen Leal. Participaram também da mesa, o Professor Marco Aurelio Ruediger, Diretor da DAPP, e o Professor Rubens Penha Cysne, Diretor da EPGE.

Considerado um dos principais responsáveis pela retomada, ainda que tímida, da economia brasileira, Henrique Meirelles falou sobre o que foi feito pela equipe econômica para superar a maior recessão da história do Brasil.

— A economia começa o seu processo de retomada e nós estamos acompanhando isso de uma forma bastante rigorosa — destacou o ministro, no início de sua apresentação.

A palestra de Meirelles focou nas medidas que estão sendo implementadas para esta retomada e sobre as reformas econômicas em curso. O ministro apresentou indicadores que demonstram recuperação da atividade econômica nos últimos três meses, evidenciando que o Brasil saiu do período recessivo.

Meirelles também destacou a trajetória de queda da inflação, em especial a dos alimentos, e a dinâmica inflacionária do país, que deve ficar próxima da meta de 4%. De acordo com Meirelles, isso é fundamental para que o Banco Central possa tenha mais liberdade para reduzir a taxa de juros.

O ministro destacou ainda a importância da aprovação do teto de gastos, que, segundo ele, tornou urgente a discussão das reformas estruturais, como a trabalhista, da previdência e a tributária, bem como das reformas microeconômicas (regulação setorial, controle fiscal e redução do spread bancário).

Ao falar sobre as previsões do Produto Interno Bruto, o ministro apresentou dados que apontam crescimento, de 1994 a 2013, de 3,3% ao ano, em média. Meirelles afirmou que as reformas propostas permitirão que nos próximos 10 anos o Brasil apresente potencialmente um crescimento entre 3,5 e 4% ao ano.

— Nós estamos tomando as medidas necessárias para garantir a estabilidade da economia. Em primeiro lugar: inflação caindo, ajuste fiscal, metas rigorosas. Em consequência, os fundamentos econômicos têm melhorado nos últimos meses e estamos comprometidos com a redução do papel do estado e com a criação de um ambiente favorável à produção. As reformas estruturais para aumentar a produtividade do país e a ideia é construir um novo ciclo de crescimento que possa oferecer oportunidades de investimento no futuro — concluiu.

Confira a íntegra do painel: