Ferramentas DAPP

Núcleo de apoio a Obrador concentra 43,6% dos robôs identificados em debate sobre eleições mexicanas

De um total de 3.328 perfis automatizados, 43,6% foram identificados em grupo de apoio a Obrador e 26,23% em grupo de seus adversários políticos; parte das contas automatizadas retuíta mensagens de políticos latinos

há 5 meses

No último domingo, 1º de julho, véspera do confronto entre Brasil e México pela Copa do Mundo, os mexicanos elegeram como próximo presidente Andrés Manuel López Obrador, com 53% dos votos. Em larga vantagem para os demais candidatos, López Obrador conseguiu engajar substancial apoio no Twitter durante a campanha; e, dentre os cinco nomes que disputaram a corrida presidencial, foi o que mais teve interações provenientes de robôs em seu núcleo de suporte.

Entre 29 de junho e 02 de julho, foram coletadas 1.052.920 postagens no Twitter, em espanhol, com referências aos candidatos à Presidência, aos partidos que compuseram as coligações, a hashtags e termos próprios do debate eleitoral mexicano e a outras figuras políticas associadas ao contexto. A base de dados utilizada na análise corresponde a uma amostragem de 20% do total do debate, com coleta aleatória de postagens a partir de algoritmo próprio do Twitter, e apresentou 785.691 retuítes — oriundos de 380.076 perfis —, organizados no mapa de interações. Posteriormente, a aplicação de metodologia própria da FGV DAPP para detectar atividades suspeitas de automatização identificou 3.328 perfis (pouco menos de 1% do total) participando do debate e que apresentam indícios de que sejam robôs.

O grupo (laranja) em que aparece o perfil de Obrador no Twitter (@lopezobrador_) e agrega o apoio ao presidente eleito respondeu pelo maior núcleo do grafo, com 22,41% dos perfis. Além de mensagens de felicitação e declaração de suporte eleitoral a Obrador, há forte repercussão, no grupo, de publicações feitas por líderes de outros países da América Latina, como Nicolás Maduro, da Venezuela, e Evo Morales, da Bolívia. No total, 4,24% das interações no grupo apresentaram comportamento suspeito, dentre as quais uma conta que retuitou mensagem de parabenização feita pelo político francês Jean-Luc Mélenchon. Outros possíveis robôs também retuitaram publicações de Obrador e de outras figuras políticas relevantes do México, além de vários retuítes de postagens do pesquisador John M. Ackerman (@JohnMAckerman), da Universidade Nacional Autônoma do México (UNAM). E, em relação ao total de perfis suspeitos do mapa de interações, esse núcleo reuniu 43,6% das contas suspeitas de serem robôs.

Mapa de interações sobre o debate no Twitter das eleições no México
785.691 retuítes (amostragem de 20%) — 29/06 a 02/07

Fonte: Twitter | Elaboração: FGV DAPP

O segundo maior grupo do grafo, em rosa, agregou 17,89% dos perfis, dentre os quais o de maior influência foi o do ex-presidente Felipe Calderón (@FelipeCalderon), que desejou sorte e sucesso a Obrador. As demais postagens também parabenizaram o presidente eleito e repercutiram a vitória, mas sob o enfoque adicional das mensagens emitidas por dois adversários, Ricardo Anaya e José Meade, ao reconhecerem a derrota. Muitas postagens com elevado volume de compartilhamentos recordaram que, em 2006, Obrador se recusou a admitir a derrota nas eleições presidenciais, e que a postura de Anaya e Meade é muito positiva para a democracia mexicana.

No grupo rosa, 1,28% das interações foram identificadas como suspeitas (correspondendo a 26,23% de todos os perfis suspeitos de serem robôs no grafo). Há diversos retuítes de postagens da conta de Meade (@JoseAMeadeK) e de Calderón, além de compartilhamento de publicação do jornalista cubano Yusnaby Pérez (@Yusnaby) que repercute fala de Obrador de tom positivo em relação a Fidel Castro.

Terceiro maior núcleo do grafo, o grupo em verde-escuro (11,19%) praticamente não apresentou atuação de perfis suspeitos (0,09% das interações) e é o único, dentre os principais grupos de engajamento do grafo, que tem um debate bastante variado quanto às posições políticas dos perfis e aos assuntos discutidos. Destacam-se, por exemplo, mensagens críticas ao partido de Meade (PRI) feitas por muitos cidadãos que culpam a legenda pela derrota nas eleições; mensagens que, sem manifestar apoio a Obrador, enfatizam a importância de unidade entre os mexicanos para o próximo governo; piadas em relação ao resultado; e comparativos entre a eleição e o jogo contra o Brasil.

Robôs (pontos em preto) no debate no Twitter das eleições no México

Fonte: Twitter | Elaboração: FGV DAPP

Já no grupo em vermelho (10,33% dos perfis do grafo), apontaram-se 1,67% de interações suspeitas. Repercute questões políticas e relacionadas às plataformas eleitorais de Obrador e publica incentivos ao ato de votar nas eleições, demonstrando orgulho da democracia. A postagem mais retuitada do núcleo foi do ex-presidente Vicente Fox com uma montagem irônica do próprio Fox, junto dos demais chefes de Estado mexicanos vivos, em alusão à promessa feita por Obrador de acabar com as pensões para estes. Também se verifica nas publicações com indícios de atividade de robôs compartilhamento da postagem de Fox e o mesmo contorno temático observado nos engajamentos legítimos do núcleo.

Em azul, com 6,6% do grafo e 2,10% de interações advindas de robôs, engajam-se as postagens internacionais — de outros países estrangeiros em língua espanhola — sobre as eleições mexicanas. Os quatro principais tuítes do grupo são, respectivamente, de Evo Morales, Nicolás Maduro, Cristina Kirchner, ex-presidente da Argentina, e Rafael Correa, ex-chefe de estado do Equador. O restante do núcleo se organiza em função do impacto do apoio dessas e de outras lideranças latino-americanas e da ênfase à importância da união entre os povos desses países e da vitória de Obrador como referência para os movimentos de esquerda da região. Entre as interações de robôs, há compartilhamentos de tuítes de todos os políticos já citados, assim como muitas de publicações do canal de TV venezuelano Telesur (@TeleSURtv).

O último dos principais grupos do grafo, em verde-claro, reuniu 5,5% dos perfis e também teve muito baixa identificação de interações suspeitas (0,74% do total do grupo). É composto majoritariamente de retuítes de mensagens de outros candidatos e figuras públicas do México, entre celebridades e políticos, dentre os quais o atual presidente Enrique Peña Nieto, a candidata derrotada Margarita Zavala e o candidato derrotado Jaime Rodríguez. O tuíte mais compartilhado por esse grupo, no entanto, foi o de Obrador logo após a vitória. Ainda se viu, nesse núcleo, volume relevante de postagens com denúncias de fraude e coerção eleitoral, queixas sobre supostas violações à lisura do processo eleitoral e divulgações de notícias e atualizações sobre a apuração dos votos.


Veja mais sobre: , , ,