Ferramentas DAPP

Proibição de conduções coercitivas pelo Supremo mobiliza 59,1 mil menções no Twitter

Destacaram-se sobretudo tuítes contra a decisão, um total de 8 entre os dez posts mais retuitados

há 3 meses

A decisão do Supremo Tribunal Federal que declarou inconstitucional a condução coercitiva de investigados gerou discussões no Twitter a respeito das suas possíveis consequências na Operação Lava Jato. Entre as 14h de quinta-feira (14) e a mesma hora de sexta (15), houve 59,1 mil menções no Twitter sobre o assunto, com um pico às 18h20, quando foi publicada uma média de 150 tuítes por minuto, logo após a divulgação do resultado da votação dos ministros.

Por 6 votos a 5, os ministros do STF entenderam que a condução coercitiva — levar um investigado ou réu obrigatoriamente para ser interrogado — é inconstitucional porque fere princípios como o direito ao silêncio e a presunção de inocência. Desde dezembro de 2017, o instrumento estava suspenso por decisão liminar do ministro Gilmar Mendes.

Destacaram-se sobretudo tuítes contra a decisão — entre os dez tuítes mais retuitados, oito foram contra. E hashtag mais utilizada foi #STFVergonhaNacional, com aproximadamente 1 mil tuítes. Denota-se, entre essas publicações que criticam a decisão, uma percepção de que a proibição irá dificultar o trabalho da Operação Lava Jato, uma vez que os seus investigadores usam com frequência o instrumento da condução coercitiva.

O coordenador da força-tarefa, o procurador Deltan Dallagnol (@deltanmd), inclusive tuitou que a decisão representa um ataque aos métodos da Lava Jato, compartilhando um trecho da declaração de voto do ministro Edson Fachin. A publicação do procurador teve 354 compartilhamentos até o fechamento da análise. Dallagnol também retuitou o tuíte abaixo, que foi o mais compartilhado no período.

Tuíte mais retuitado no período (link)

 

 

Entre as 30 palavras mais utilizadas no debate, há apenas dois atores mencionados: o ex-presidente Lula e o ministro Gilmar Mendes. O ex-presidente foi citado em 6,5 mil tuítes, e grande parte deles critica o Judiciário na condução do processo de Lula e lamenta que a proibição só tenha ocorrido após o episódio de sua condução coercitiva, em março de 2016. A decisão do STF tomada ontem foi em resposta a duas ações ajuizadas pelo PT e pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), ambas após a condução de Lula.

Tuíte mais retuitado sobre Lula (link)

Já o ministro Gilmar Mendes foi citado em 3,5 mil tuítes. Além de publicações com a contabilização dos votos individuais dos ministros, em grande parte desses tuítes Mendes é tido como a principal figura de oposição à Operação Lava Jato.

Tuíte mais retuitado sobre Gilmar Mendes (link)

 


Veja mais sobre: ,