• Pesquisa

    A FGV ECMI herda a vocação para a pesquisa aplicada da FGV DAPP e expande a prática científica com o desenvolvimento de uma série de projetos acadêmicos no campo da Comunicação Digital. Conheça o nosso grupo, as linhas e os núcleos de pesquisa.

O grupo, as linhas e os núcleos de pesquisa da FGV ECMI têm foco na investigação de fenômenos, temáticas e objetos da Comunicação em interface com as Ciências Sociais e a Ciência de Dados. Nossos pesquisadores e pesquisadoras estão debruçados em estudos com abordagens acadêmica e tecnológica.

 

Democracia, Estado e Política em meios digitais:

Agrega estudos que examinam as múltiplas interseções entre Democracia, Comunicação e Política em meios digitais. Fundamentada na articulação teórico-metodológica de diversas áreas, tais como Comunicação, Linguística, Ciência Política e Ciência de Dados, esta linha é composta por pesquisadores interessados em temas como democracia digital, governo e governança digitais, comunicação política online, ação política e ativismo em meios digitais, campanhas online, deliberação e esfera pública online, participação e transparência digitais, desinformação e a circulação de informações políticas em ambientes digitais, e regulação e economia política da comunicação digital.

Tecnologia, Cultura e Sociedade:

Concentra estudos que focam no impacto dos meios, processos e práticas de comunicação digital em aspectos culturais, políticos e econômicos da sociedade. A partir de uma abordagem multidisciplinar, as pesquisas que compõem essa linha buscam investigar de que forma as diferentes dimensões da sociabilidade contemporânea são atravessadas por interações, processos e estruturas de comunicação digital. Foca, também, em compreender como a digitalização e a dataficação da vida se manifesta no modo como cidadãos, organizações públicas e setor privado se relacionam.

 

Acesse as produções da FGV ECMI aqui

 

Núcleos de Pesquisa

O Núcleo de Pesquisa em Comunicação, Comportamento Político, Discurso e Desinformação On-line (COPO-D) investiga as implicações dos usos das tecnologias, das plataformas digitais e dos media nas atitudes políticas, na qualidade da esfera pública e na formação (e distorção) da opinião pública. Os estudos do COPO-D estão interessados nas relações entre fenômenos comunicacionais, discursivos e sociopolíticos estabelecidos em meios interativos. A partir de uma perspectiva interdisciplinar, que une áreas como Ciências Sociais, Comunicação e Linguística com Ciência de Dados, a agenda de pesquisa do Núcleo abrange tópicos como discussão pública, campanhas eleitorais, fake news, manipulação política, populismo, ativismo digital e processos eleitorais, com uso de métodos mistos e perspectiva multiplataforma.

O Pol&Inova analisa a atuação dos setores público e privado na definição, no planejamento e na execução de políticas relacionadas aos impactos das diferentes tecnologias em processos de deliberação democrática e na produção e circulação de bens culturais e informacionais. São de interesse do núcleo estudos sobre governos e governança digitais, dados abertos, transparência, desigualdades no acesso e na produção de informação, comunicação e cultura, e os impactos e efeitos da inteligência artificial na Democracia. O núcleo também foca em abordagens econômicas e sociais sobre o setor de Comunicação Digital, a indústria criativa e as cidades inteligentes no Brasil e no mundo globalizado. No contexto da Economia Política da Comunicação, o Pol&Inova analisa as transformações trazidas pelo Capitalismo Informacional, em que o papel da comunicação e da informação ganha centralidade no desenvolvimento econômico no século XXI. Desdobramentos desta abordagem, como estudos sobre capitalismo de vigilância, colonialismo de dados, governança algorítmica e plataformização da internet e do trabalho estão contemplados.

Este núcleo reúne pesquisas que partem dos fenômenos comunicativos para investigar como os usos das tecnologias digitais afetam a construção dos imaginários sociais, as formas de sociabilidade e de interação dos sujeitos e a produção de conteúdo. Tem, ainda, como interesse o entendimento crítico sobre o modo de funcionamento, as materialidades e as linguagens das plataformas e tecnologias digitais. Assim, compõem temáticas de estudo: culturas da internet, interação e sociabilidade em plataformas digitais, entretenimento digital, comunicação humano-maquínica, percepções sociais baseadas em inteligência artificial, produção e circulação de conteúdo multimídia, humanidades digitais e métodos digitais, entre outros.

Os programas de Iniciação Científica da Escola de Comunicação, Midia e Informação da Fundação Getulio Vargas têm como objetivo, estimular a produção acadêmica dos alunos de graduação, incentivá-los a participar de projetos de pesquisa e contribuir para o desenvolvimento de metodologia científica. Visa proporcionar a aprendizagem, a criatividade e habilidades técnicas do trabalho científico.  

Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC)

Em 2023/2024, os estudantes de graduação da FGV ECMI poderão participar do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC). O programa possui financiamento da Fundação Getulio Vargas.

Os alunos poderão, ainda, participar da Iniciação Científica Voluntária, que incentiva o intercâmbio acadêmico e a pesquisa científica.  

As manifestações expressas por integrantes dos quadros da Fundação Getulio Vargas, nas quais constem a sua identificação como tais, em artigos e entrevistas publicados nos meios de comunicação em geral, representam exclusivamente as opiniões dos seus autores e não, necessariamente, a posição institucional da FGV. Portaria FGV Nº19/2018.